Pelotão de Patrulhamento Tático tem instrução com explosivos

Ontem, 29, foi dia de instrução com explosivos para o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM) em Blumenau. Os instrutores foram os soldados Alberto Camargo Muniz e Felipe Lino Rossini do PPT, que possuem cursos feitos na Tatical Explosive Entry School, a Tees e na Britanite, ambos no Paraná.
A primeira parte da instrução foi teórica. Os principais temas abordados foram: entrada tática, utilização de explosivos, normas de segurança, acionador de explosivos para detonar as cargas (estopim hidráulico e elétrico e acionador de tubo de choque) e ainda confronto em ambiente confinado (CQB).
As atividades práticas ocorreram no Caça e Tiro Blumenauense, onde no dia anterior os instrutores preparam o ambiente. Ali, o pelotão repetiu os treinos até poder fazer o uso de explosivos. “O treinamento é importante para que todos os policiais do grupo tenham noção sobre os explosivos e possam atuar em ocorrências em que for necessário recorrer a esse material”, comentou o soldado Muniz.
No local de treino, os policiais puderam por em prática os conceitos vistos em sala. Além disso, eles fizeram exercícios de aproximação, colocação de carga, retorno para local seguro e acionamento da carga. Para então fazer nova aproximação e entrada no ambiente.
O exercício final foi à simulação da entrada na casa, feita pelos instrutores, com a detonação de explosivos para abrir as portas. “Ao contrario do que muitas pessoas pensam, o uso de explosivos é muito seguro”, disse o soldado
Rossini.
Exemplos de situações em que os policiais especialistas explosivos entram em ação:
• Abrir portas, janelas e entradas diversas. Comumente utilizado em cumprimentos de mandados de prisão. De acordo com os especialistas é mais seguro, eficaz e controlado fazer a abertura com explosivos.
• Ocorrências em que há suspeitas de bombas. Os policias usam contra-cargas para neutralizar a carga. Muitas vezes, o material não é explosivo, mas é preciso realizado o procedimento para desmantelar o suposto explosivo.
• Varredura em ambientes diversos. Exemplo disso foi a visita do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva à Blumenau em 2008. O parque Vila Germânica foi vistoriado pelos policias para garantir de que não havia nenhum material explosivo.
Os instrutores ressaltam que toda a ocorrência envolvendo utilização de explosivos ou suspeita de bombas é atribuição do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Por isso, toda vez que se fizer necessária a utilização de tal recurso é obrigação da unidade comunicar o Bope, para gerenciar e orientar a utilização dos mesmos.
Fonte: http://www.pm.sc.gov.br/website/rediranterior.php?act=1&id=11522